Amazônia equatoriana é campo de batalha entre a biodiversidade e o petróleo

Uma equipe de cientistas, doumentou que o Parque Nacional Yasuní, no centro da Amazônia equatoriana, é uma das florestas mais biodiversas do planeta, com uma grande variedade de plantas e grupos de animais.

O estudo [Global Conservation Significance of Ecuador's Yasuní National Park] foi publicado na PLoS ONE reafirma informações que podem impulsionar o processo de proteção do Parque Nacional Yasuní, com destaque para a proposta do governo de ‘conservação remunerada’.
Os autores também concluem que os projetos de desenvolvimento,a partir da exploração de campos de petróleo, representam a maior ameaça à Yasuní e sua biodiversidade.

O governo do Equador, desde 2007, propõe a ‘iniciativa’ Yasuní, oferecendo a conservação do parque, deixando de explorar as reservas de petróleo, em troca de dinheiro por parte da comunidade internacional.

A falta de receptividade internacional e seguidas disputas internas no governo, levaram o presidente equatoriano, Rafael Correa, a suspender as negociações, timidamente retomadas, no contexto REDD, durante a COP 15.

De acordo com os autores do estudo, a manutenção da área, como um refúgio biológico, deve ser uma “prioridade de conservação global de primeira ordem”. Segundo eles “Se as florestas mais diversificadas do mundo não podem ser protegidas em Yasuní, parece improvável que possam ser protegidas em qualquer outro lugar.”

Henrique Cortez
1 Response
  1. Marisa Says:

    nao so amazonia.outros estados lei que obrigue todos condominios,casas,apartamentos ,estacionamentos a terem arvores.